18.2.08

Chuva


Gosto de adormecer com o barulho da chuva a bater na janela. Gosto de acordar e ficar na cama a ver as gotas serpentear nos vidros. Gosto do nó no estômago feito do medo infantil que ainda tenho dos trovões. Gosto de calçar as botas, vestir a gabardina e sair à rua com o vento a atirar-me a chuva com força. Gosto de pisar as poças que os outros evitam. Gosto de chegar a casa encharcada, despir a roupa molhada e esquecer-me de tudo debaixo do duche quente. Sou uma criatura do inverno. Sou mais eu quando chove.

2 comentários:

Everaldo Ygor disse...

Olá...
Em minhas andanças na rede, encontrei o seu belo blog...
E a chuva sempre inspirando poemas e vidas...
Abraços
Everaldo Ygor
Visite:
http://outrasandancas.blogspot.com/

curse of millhaven disse...

:D eu sou exactamente assim. o tempo de chuva é a minha cara, ao ponto de tb escrever sobre isso no meu blog.